quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Capítulo 100

Clara On: 


Um mês e meio se passou, cuidar do meu filho estava sendo o meu passatempo preferido. Luan estava em casa por três meses e era adorável vê-lo me ajudar. Cecília ansiava para que o Lucas crescesse para poder brincar com ele, enquanto isso se divertia com Gaby que ficava algumas tardes com a gente. Hoje receberíamos a imprensa lá em casa, para entrevistas sobre o bebé e a nossa vida depois de quase dois anos de casado. 


- A pergunta que não quer calar é: Como decidiram o nome do bebé? - uma jornalista indagou e olhei Luan o deixando responder.
- Na verdade não foi a gente, nós somos bem controversos. - rimos fraco - Por isso pedimos ajuda para a nossa filha Cecília e ela que escolheu Lucas.
- Sei que é cedo para perguntar isto, mas planejam ter mais? 
- Claro que sim. - respondi - Eu quero ser mãe mais vezes e das melhores sensações que tive foi poder fazer o Luan pai, então, óbvio que teremos mais, quantos não sabemos, mas iremos ter sim. - ri fraco e Luan apertou meu ombro me juntando mais a ele. 


Durou a tarde inteira e quando os jornalistas foram embora fui dar de mamar no Lucas. Cida estava colocando a mesa para o jantar e a campainha tocou. Luan se prontificou a atender e era Bia.


- Ué amiga, veio sozinha? - indaguei a cumprimentando com um abraço.
- Ele deve estar chegando. - falou sem muita animação.
- Nossa quanta animação pra falar do namorado. - Luan zoou.
- A gente teve a nossa primeira briga por coisa idiota. - resmungou e cruzou os braços. - Cadê minha afilhada?
- Está na cozinha com a Cida.
- Nossa, ela muita gosta de ficar na cozinha, vai ser cozinheira. Vocês pensando que seria bailarina ou cantora mas será cozinheira. - riu e a fuzilei.
- Engraçada, ela será o que quiser. - respondi firme arrumando minha blusa e esperando Lucas arrotar. 
- Porque brigaram? - Luan perguntou curioso.
- O Hardin me ligou e ele não gostou que estava falando com ele. - bufou irritada. - Veio com ciuminho, o Hardin é meu amigo, óbvio que falo com ele. 
- Eu até compreendo o Felipe. - Luan falou e o olhámos incrédulas.
- Sério? Então porquê? - Bia perguntou começando a ficar irritada.
- Que homem gosta que a mulher dele fale com o ex? Você esperava que ele fosse ser amigo do Hardin por acaso?
- Desculpa amor, mas se é assim você não é homem. - constatei rindo e ele me olhou feio - Você fala com o Marcos e não me proíbe de falar com ele. - expliquei e vi a cara de Luan derrotada.
- Mas eu sou diferente. - tentou me convencer do contrário - O Marcos nunca foi um concorrente á altura, já o Hardin é um alto concorrente para o Felipe. Normal ele ficar com ciúme e tal.
- Normal o cacete Luan. -Bia se indignou - Eu estou com ele não com o Hardin, deixei isso bem claro, o que havia entre mim e ele era apenas amizade colorida, com o Felipe é namoro sério.
- Eu te entendo, mas o Hardin faz um estilo de homem que você gosta bastante.
- E o Felipe é de quem eu gosto, por isso pára de tentar arrumar argumentos para defender o seu amiguinho Luan.  - Luan riu levantando as mãos em redenção. 
- Vocês têm de conversar. - aconselhei - Mostra ao Felipe o meu caso se for preciso, ele não pode dar uma de ciumento. O Hardin está longe e não há motivos justificáveis. 
- Nós vamos conversar. - respirou fundo - Com tudo isso nem te contei, o Hardin me ligou avisando que estavam viajando com o Logan, a filhinha dele vai nascer, e os meninos vão todos juntos para o hospital.
- Aqueles lá não se largam. - ri fraco e ela concordou.
- O Hardin falou que a Chloe será namorada do Luquinhas.
- Olha lá, já está se comprometendo o meu garoto. - Luan falou brincando e o olhei feio - Que foi mamãe ciumenta?
- Ele tem muito tempo pra pensar nisso ainda. Temos de ligar ao Logan depois. - informei e Luan assentiu.
- E comprar um presente bacana para a filha dele como ele fez com a gente.
- Já tratei disso meu querido. - pisquei o olho convencida.


Felipe chegou uns minutos depois e ficava olhando Bia. Luan e eu apenas segurávamos o riso pela cena de marrentos que eles estavam protagonizando. 


- Padrinhos. - Cecília veio correndo saltando para cima dos dois.
- Oh meu amor estava cozinahndo? - Bia perguntou zombando.
- Tava não, estava conversando com a Cidoca.
- Cidoca? - indaguei e Luan ria pois ele é que a chama assim - Seu pai é um péssimo professor.
- Oh amorzinho, não briga comigo não, eu sou apenas carinhoso.
- Aham. quero nem saber o nome que daria a um cachorro se tivesse um.
- Ué, fui eu que dei o nome ao Puff da Bruna.
- Criativo você. - zoei e ele deu língua. - Vamos jantar gente. 
- Amiga quando será o batizado?
- Daqui a dois meses, vamos fazer o da Cecília e do Lucas juntos. O Luan volta a fazer show daqui a dois meses, então aproveito o último mês para isso.
- Vai dar tempo?
- Estamos falando de Luan Santana. - Lu informou convencido - Dá mais que tempo.
- Desculpa queridinho se você é VIP em tudo, saudade de ser VIP.- se lamentou e Felipe pigarreou sabendo que ela se referia a Hardin. 


Luan começou outro assunto com Felipe tentando descontrair o clima chato que se tinha instalado. Lucas era um amor, só comia e dormia, nem chorava muito, só me acordava uma ou duas vezes durante a noite para mamar e voltava a dormir. 


- Mamãe me deixa dormir em casa da madrinha?
- Ceci hoje não, depois a gente combina isso, mas hoje não. - Olhei Bia que me agradeceu com o olhar, sabia que era queria fazer as pazes com Felipe e com Cecília no seu encalço seria impossível. 
- Tá bom, e se for em casa da vovó, posso?
- Está querendo dormir fora de casa a toda a força filha. - ri. - Porquê hein?
- Por nada, mas estou com vontade de dormir em outro lado.
- Tá bom, seu pai te leva depois em casa da Mari.
- Obrigada. - respondeu toda educadinha.


Como combinado Luan levou Ceci em casa dos sogros, eu arrumei Lucas o deixando no berço ao lado da nossa cama e logo Luan chegou.


- Está dormindo?
- Está amor. - fui até ele que me puxou pela nuca colando nossos lábios num beijo quente e a outra mão segurava minha cintura. - Lu... - ofeguei entre o beijo - Não podemos...
- Quem disse? Já acabou o resguardo amor.
- Você andou contando? - indaguei sentindo seus beijos molhados em meu pescoço.
- Aham, mas chega de conversa, vamos pro banho, eu quero te amar muito.
- Sabe que não dará pra nos amarmos muito né? O Lucas está dormindo e pode acordar a qualquer hora. - informei assim que chegámos no banheiro.
- Eu sei, mas iremos aproveitar cada segundo. - me envolveu num beijo e tirou meu vestido se desfazendo em seguida das minhas peças íntimas. Fiz o mesmo com ele e quando estávamos nus entramos no box ligando a água quente que logo caiu sobre nós.


Agora entendi porque Cecília estava implorando para dormir fora, Luan sabia muito bem persuadi-la e já estava de caso pensado. Nos amamos todo o segundo que tínhamos e assim que me sequei e escovei meu cabelo Lucas chorou pedindo pra mamar.


- Eu não falho amor, tempo certinho. - Luan se gabou e ri me aconchegando nele enquanto alimentava meu pequeno.
- A gente faz dois anos de casado em breve amor, eu quero te mostrar uma coisa.
- O quê?
- Depois você vê.
- Você anda muito misteriosa ultimamente. - me abraçou por trás colocando o queixo em meu ombro.
- Você vai amar, já estou com essa ideia desde o nosso aniversário de um ano.
- Tanto tempo assim? Vish, agora vou morrer de curiosidade.
- Vai valer a pena, até as crianças vão amar, quer dizer, a Cecília porque o Lucas ainda é cedo demais para entender.


(...)


O dia chegou rápido, Luan estava ansioso mas não lhe desvendei nada. Arrumei Lucas, Cecília e me arrumei em seguida. Preparei uma mala de roupa para todos por duas noites e desci vendo Lu jogando video game com Cecília com Lucas no colo que dormia. Tirei uma foto daquela cena.


- Vamos tomar o café da manhã, porque ainda temos estrada para andar.
- Ainda não me vai dizer onde vamos? - Luan perguntou sapeca.
- Não, é surpresa. - selei nossos lábios e depositei um beijo em Lucas e outro em Cecília.


Coisas no carro, meninos em segurança. Estava na hora de partir, pelas minhas contas chegaríamos antes do almoço o que era o ideal. Coloquei o endereço no GPS e deixei que Luan seguisse. Aproveitei para publicar a foto que tirei mais cedo.



"É muito amor numa foto só ❤️ "



- Falta muito?
- Amor não sei, também nunca fui lá, será tanto surpresa pra você quanto pra mim.
- Lá onde? - tentou me fazer cair mas ri negando.
- Logo saberá. - Luan ligou a rádio num volume baixo para não despertar Lucas, Cecília também já estava cochilando. 


Em menos de uma hora chegámos e olhei Luan que estranhava tudo aquilo. Assim que o GPS informou que chegámos ao nosso destino Luan me encarou sem entender nada.


- Chegámos amor. - desci do carro e Luan me seguiu. 
- Amor mas onde a gente está? Isto é uma fazenda né? Era aqui que você queria trazer a gente? Tem certeza.
- Mais do que certeza, toma. - tirei uma chave da minha bolsa lhe entregando.
- Como é que você tem a chave?
- Porque isto não é somente uma fazenda, isto é... - me aproximei do portão e tirei o lenço que tampava a placa - É a Fazenda Santana. - Luan ainda não estava entendendo nada - É sua meu amor, parabéns pelos dois anos de casados. - abracei seu pescoço e ele me olhou não acreditando.
- Esta fazenda é minha?
- É, gostou?
- Eu amei, nem tenho palavras para te agradecer, foi uma surpresa maravilhosa. Obrigado, obrigado, obrigado. - me abraçou forte me levantando do chão.
- Vamos entrar, tem tanta coisa pra conhecer ainda, só vi pela internet quando estive procurando para comprar e fiquei encantada.

 Luan abriu o portão e nos dirigimos ao carro mais uma vez, entrando nele na nossa nova propriedade. O sol estava alto e tornava aquele local muito mais acolhedor e lindo. A Fazenda era enorme e tinha um longo espaço para fazer imensas coisas, me certifiquei de que tinha estábulo e sabendo que tinha cavalos tratei de arrumar fazendeiros para trabalharem ali e cuidassem da casa enquanto a gente estivesse na cidade. Cecília acordou e assim que desceu ficou olhando tudo curiosa. Entramos com as malas em casa e um cheirinho de comida da fazenda se fez sentir.


- Nossa que cheiro gostoso. - Luan falou fechando os olhos.
- Salete? - chamei a senhora que cuidava da casa e ela logo apareceu limpando as mãos no pano de cozinha.
- Chegaram? Que honra conhecer vocês. - nos cumprimentou - O almoço está quase pronto, podem arrumar as malas e quando voltarem já estará servido.
- Obrigada Salete. O seu Pedro está aí né?
- Está menina, está no fundo tratando dos cavalos. - assim que ela falou aquilo Luan me encarou arregalado.
- Cavalos? - indagou com aquele sorriso de criança brincando em seus lábios. 




- Sim, cavalos, não poderia esquecer disso. - acariciei seu rosto e ele me beijou.
- Obrigado por tudo isto, você é a melhor do mundo. 


Arrumamos as malas e depois de ver a casa toda voltámos para a cozinha que era enorme e bem estilo de fazenda e nos sentámos á mesa. 


- Salete chama o seu Pedro e almocem com a gente. - mandei e ela me olhou sem graça - Anda logo mulher, não volto a repetir, quero vocês com a gente.
- É isso aí Saletinha, ouve a Clara. - Luan me deu força e o repreendi com o olhar pelo apelido que já tinha arrumado para a empregada.
- Eu já volto meninos. 


Salete voltou com seu Pedro e se sentaram com a gente. Cecília conversava com todos e era bom conhecer as pessoas que cuidariam da nossa fazenda. Eles moravam ali perto e foi maravilhoso encontrar pessoas de confiança assim. Depois do almoço ficámos descansando na varanda apenas observando aquela paisagem de tirar o fôlego. Um pouco mais tarde fomos andar de cavalo, quer dizer, apenas Luan, eu só andei um pouco e tive de descer para ficar com Lucas, Cecília pediu a Luan para aprender e claro que ele ensinou. Salete me deu o celular de Luan dizendo que ele lhe pediu para tirar fotos e dei de caras com uma foto nossa. 



"2 anos de casado na nossa Fazenda. Nada paga a alegria do @luansantana quando soube da surpresa kkkk Te amo my love ❤️"



(...)


O batizado foi maravilhoso, mas em poucos dias Luan teria de voltar para a estrada. Shows não lhe faltava e estaria fora um mês sem hipótese de voltar a casa. Era difícil mas era necessário. Minha mãe jantava quase sempre lá em casa e me fazia companhia. 


- Filha queria te propor uma coisa assim que você voltar a trabalhar na academia, quando o meu neto estiver mais crescido.
- Pode falar mãe.
- Você está quase se formando em Relações Internacionais, seria bom ter alguém com os seus conhecimentos no escritório, nós temos bastantes clientes lá fora e seria muito bom ter a sua ajuda.
- Não sei mãe, você acha que serei capaz? É que eu já tenho a academia e tenho os meus filhos pra cuidar, não sei se seria boa ideia trabalhar fora e ocupar mais o meu tempo.
- Fala com o teu marido e depois de pensares muito bem dá-me a resposta. Já era algo que tinha falado com o seu pai quando você começou estudando mas de uns tempos pra cá é que realmente vi que seria algo bom pra você.
- Eu vou falar com o Luan.


A minha formatura chegou, convidei todos os meus amigos e alguns familiares mais próximos e, Luan chegaria nesse mesmo dia depois de um mês fora. Era tanta saudade e ansiedade nesse dia que mal dormi. Arrumei as crianças e me arrumei a seguir. Não queria nada extravagante, então decidi por uma vestido simples mas diferente e confortável.




Estava chegando a hora e nada de Luan aparecer. Não dava para esperar mais e assim que abri a porta para sair Luan chegou já arrumado com um ramo. 


- Ufa, graças a Deus cheguei a tempo, o trânsito está de matar. - se desculpou e depois de me cumprimentar abraçou os filhos. 
- Estava me preocupando já.
- Vamos lá amor, meus pais já estavam saindo de casa quando vinha pra cá. 


Estava tudo do meu agrado e quando voltámos pra casa me lembrei do que a minha mãe me tinha falado. As crianças já dormiam e Luan estava no banheiro esperando por mim. 


- Amor a minha mãe esteve cá esses dias e me propôs uma coisa. - falei assim que nos acomodámos na nossa cama.
- Pela sua cara estou vendo que é algo que está te chateando né?
- Não diria chatear, é que não sei se devo. Ela quer que eu trabalhe no escritório.
- Mas você não é advogada.
- Mas sou formada em relações internacionais e ela disse que seria bom eu trabalhar com ela por causa dos clientes de fora que o escritório tem. 
- O que você quer? 
- Eu não sei, ela falou que já pensava nisso quando meu pai estava entre a gente mas agora não sei. Eu tenho nossos filhos e a academia, não quero encher minha cabeça com outros problemas e chegar cansada em casa, nossos filhos já sentem a sua falta não quero que também sintam a minha. Me diz qual a sua opinião.
- Por mim você não trabalhava, sabe muito bem disso, mas da academia não te posso tirar, então a minha resposta para a proposta da D. Giovanna é não. - falou firme deixando bem clara a sua posição.
- Já esperava isso. 
- Mas se você quiser, eu respeitarei. 
- Não quero, não agora. - selei nossos lábios. 



5 ANOS DEPOIS ... 



Luan On: 


Cheguei em casa depois de um dia de entrevistas em outro estado, estava doido para ver a minha família e matar a saudade deles. Cheguei em casa e estava tudo em silêncio. Não era normal, Lucas normalmente estaria brincando ali na sala mas nem sinal dele havia. 


- Já chegou menino Luan?
- Oh Cidoca onde está todo mundo?
- A Maria Clara foi com o Lucas na Academia e a Cecília está desde manhã no quarto ou nas cadeiras da piscina.
- Faltou na escola, ela está doente?
- Não sei, a menina apenas pediu para fazer um chá de camomila para ela, mas ela mesma o levou antes de sair.
- Tudo bem, eu vou ver o que está acontecendo com a minha mocinha.
- Mocinha mesmo, nem dá pra acreditar que aquela menina de 5 anos que conheci já está com 13. 
- Nem me diga nada, meu coração se aperta. - ri fraco e saí rumo á piscina a encontrando na sombra deitada nas cadeiras mas de roupa o que estranhei.


Me aproximei e me sentei do seu lado, ela estava de olhos fechados e os abriu assim que sentiu a minha presença. Cecília estava uma menina linda, se eu não a tivesse adotado afirmaria com todas as letras que ela era minha filha legítima com Maria Clara. Era cada vez mais parecida com a gente e me enchia de orgulho com as altas notas na escola e com a desenvoltura no ballet, participou em imensas apresentações juntamente com Clarinha que mantinha contato com o seu Igor que propôs uma parceria com ela. Escusado será dizer que ela morria de felicidade em poder fazer o que mais amava e mostrar isso para os maiores críticos da dança mesmo não fazendo disso a sua vida. 


- Que você tem filha? Decidiu me esperar foi? - brinquei apertando seu nariz.
- Não estou pra gracinhas hoje papai, me deixa sozinha. 
- Ué, o que aconteceu? 
- Nada que você precise saber.
- Olha como fala comigo. - alertei e ela bufou me olhando arrependida. - Me dá um abraço, estou morrendo de saudade sua. - a contra gosto ela me abraçou mas logo largou voltando á posição em que estava.  - Me fala porque ficou em casa e não foi na escola?
- Pai sério, eu não vou falar disso com você. - se levantou e estranhei aquela reação - Eu vou para o meu quarto, não me incomoda por favor.
- Cecília Santana. - a repreendi a chamando mas ela não parou seguindo para dentro de casa. 


Fiquei imaginando motivos que justificassem aquela falta de educação e de modos da Cecília mas não achei nenhum. Só esperava que não fosse por causa de rapazes, ela não tinha idade pra isso e eu não deixaria minha filha ficar daquele jeito por causa de qualquer moleque. Voltei pra dentro de casa e depois de tomar um banho relaxante desci pra pegar em algo pra comer, Cida tinha feito bolo de chocolate e decidi levar um pedaço juntamente com um suco de maracujá para Cecília. Bati na porta e não escutei nada, decidi abrir devagar e a vi deitada vendo tv com uma cara nada boa.


- Te trouxe um lanchinho gostoso filha.
- Não quero pai.
- Eu não saio daqui enquanto não comer e me contar porque está me tratando desse jeito. - pousei o tabuleiro na mesinha e me sentei ao seu lado na cama a encarando.



Eita, tanta coisa acontecendo. Mas é assim mesmo que eu quero, que passem anos e que chegue logo a adolescência da Cecília, porque muita coisa vai acontecer ainda. Luan chegou de viagem e Ceci não o tratou muito bem, o que será que ela tem? Será por causa de rapazes? Luan irá conseguir saber o motivo? Comentem por favor. Beijos <3

6 comentários:

  1. Acho que Cecília virou mocinha e está com vergonha de dizer ai pai.

    ResponderEliminar
  2. Uau, quantas novidades, cinco anos já? Acho que a Cecília tá assim por causa de algum menino hein haha

    ResponderEliminar
  3. Nossa, uma fazenda! Ótimo presente.
    Levei um susto com o "5 anos depois". kkkkk
    Cecília já está uma adolescente rebelde. Mas eu também penso que isso não é por causa de garotos rs Deve ser algo que acontece tipicamente nessa idade, como já disseram aí kkkk

    ResponderEliminar
  4. se a cecilia ficou mocinha luan vai ficar todo babão... imagina ele imaginando que agora ela já é mulher e já já vai tá namorado kkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar