quarta-feira, 29 de julho de 2015

Capítulo 66

Bati a porta com toda a força a fazendo soltar a camiseta e me olhar assustada. A fuzilei a querendo matar e estava bem capaz disso. 


- Ma eu...
- Você nada sua vagabunda. - falei entre dentes me aproximando dela a vendo se encolher - Eu logo vi que você estava de olho no que é meu. Te conheço. 
- Eu apenas vim buscar um elástico de cabelo, a tia me disse que você tinha. - se desculpou e ri sarcástica. 
- Acha que eu acredito? Se fosse isso procuraria nas minhas coisas não nas do Luan. Você poderia ter feito qualquer coisa para me irritar mas mexer com o Luan para isso foi um grande erro seu. 


Acabei de falar e a puxei pelos cabelos, eu iria acabar com ela. Lhe dei uns tapas bem merecidos ouvindo os seus gritos. Mas isso só me faria continuar cada vez mais. Ela começou a se defender e me atacar também mas a minha raiva era tanta que a derrubei no chão ficando por cima enquanto atingia a sua carinha de cínica. 


- Agora vê se aprende a não cobiçar o que é dos outros sua piriguete. Toma para você ver o que é bom. - lhe batia desenfreadamente e a porta se abriu com tudo. 
- Larica pára com isso, o que aconteceu aqui? - Hugo entrou me puxando. 
- Me larga, essa vaca merece tudo isso. 
- As coisas não se resolvem desse jeito. - me falou firme e me puxou finalmente de cima dela. Vendo a cara da Raquel toda arranhada sangrando e com os cabelos todos bagunçados e arrancados me fez rir pelo bom serviço que tinha feito. 
- Agora te quero bem longe do que é meu tá me ouvindo? 
- Hugo a sua irmã é louca, me bateu sem motivo. - se fez de cínica dando conta dos machucados que lhe fiz.
- Sem motivo? Mexer e cheirar a camiseta do meu noivo acho que é um motivo mais do que suficiente. - grunhi de raiva e Hugo me segurava forte. - Me larga Hugo.
- Raquel vai no meu quarto e cuida dessas feridas e se recompõe, já já eu passo lá. - ela saiu rápido e Hugo me largou.
- Larica o que deu em você? Ela é sua prima.
- Por isso mesmo, queria ver o que você faria se apanhasse um primo nosso cheirando as coisas da sua namorada sendo que já tinha ficado com ela e ontem se deixou agarrar por ela porque confundiu ele com você.
- Ah? Não estou entendendo.
- A Raquel e o Luan já ficaram quando a gente estava separado e ontem o Luan agarrou-a por trás pensando ser eu e ela nem se soltou, apenas quando eu chamei o Luan e ele deu conta. - bufei com raiva.
- E você viu ela cheirando a roupa do Luan?
- Vi, esta camiseta aqui. - a peguei de cima da cama.
- Eu compreendo a sua fúria mas não era preciso bater na menina, estamos em família e se a música não tivesse alta todo o mundo ouviria essa baixaria.
- Seria até melhor se ouvissem, saberiam da vagabunda que ela é.
- Se acalma.


Saiu e me deixou sozinha. Passei uma água na cara e bebi um pouco de água me acalmando. Mas não estava calma totalmente, sentia meu sangue fervilhar e meu corpo tremer constantemente. Desci e passei na geladeira pegando numa lata de cerveja. A bebi rapidamente e peguei em outra indo para perto de Luan. Assim que cheguei na área da churrasqueira ele estava virando as carnes todo feliz enquanto falava com meu pai sobre os truques do churrasco. O abracei por trás e ele sorriu.


- Pai deixa seu genro namorar um bocadinho com a sua filha? - pedi manhosa.
- Oh amor está carente é? - me zoou.
- Preciso de você apenas Lu. - o olhei séria tentando que ele percebesse que tinha algo para lhe contar.
- Vai lá Luan, eu e seu pai cuidámos do resto. Só não demorem, daqui a nada almoçámos.


Puxei Luan e o levei para uma zona do jardim onde não tinha movimento. Nos sentamos na grama e ele me olhava curioso. Fiquei entre as suas pernas e o abracei forte.


- Eu te amo. - lhe confessei e ele me beijou calmo.
- Você está tensa amor. - acariciou meu rosto. - Que aconteceu hein?
- Eu dei uma surra na Raquel. - contei rápido e ele semicerrou os olhos não acreditando.
- Você o quê? Quando foi isso? Porquê? - fez perguntas desesperado.
- Eu bati nela Luan. Você pediu para pegar o seu celular, que aliás esqueci, e ela estava no meu quarto cheirando uma camiseta sua. - ele não disse nada e fiquei ainda mais tensa.
- E você resolveu bater nela?
- Ela merecia. - falei firme.
- Porque você fez isso?
- Como porquê? Ela estava mexendo nas suas coisas, acho que tinha motivo para a quebrar toda e só não o fiz porque o Hugo apareceu. A Raquel é uma piranha, sempre soube disso, mas achava que ela tinha o mínimo de respeito por mim. - me exaltei.
- Tem calma. Só não gosto de saber que você anda brigando feio assim. E se ela te machucava?
- Pode apostar que ela é que ficou bem machucada. - ri me lembrando.
- Você é mázinha. - brincou e o olhei feio.
- Brinca. Só estou cuidando do que é meu.
- Ah é? Mas a camiseta é minha.
- Tudo que é seu é meu, ela quis mexer com você mas se ferrou.
- Ciumentinha. - beijou meu rosto - Por isso está bebendo de novo? - pegou na minha latinha a colocando num canto qualquer.
- Também. - me virei para ele e me sentei em seu colo de frente para ele - Agora me beija, devolve a minha paz. - ele sorriu doce e me pegou pela nuca me juntando a si.


Ficámos um tempo ali até ouvir meu pai nos chamar. Raquel já ali estava mas a sua cara estava péssima, até queria saber qual desculpa ela usaria.


- Nossa amor, você tem a mão pesada demais, olha a cara da menina! - Luan me sussurrou admirado e segurei o riso.
- Se fosse você andava na linha. - o avisei rindo e ele me olhou arregalado rindo em seguida.
- Perigosa muié.


Nos sentámos e a comida foi servida. A mesa era enorme, não tinha fim e estar com minha família e de Luan junta era maravilhoso.


- Mamãe? Me deixa comer em seu colo?
- Claro filha, vem cá. - peguei em Ceci e Luan serviu nós duas. - Já chega amor.
- Chega não, minhas muiés tem de comer bem, não vai comer feito passarinho não. - encheu nosso prato de comida.
- Vish mamãe, eu não vou comer tudo isso. - me falou baixinho.
- Vai sim D. Cecília, comer tudinho. - Luan falou e a menina o olhou assustada.
- Mas papai, eu não tenho baliga pa tudo. - se explicou e Luan segurou o riso assim como eu.
- Papai tá brincando, você come até onde puder filha.
- Ufa. - falou aliviada - Mas a mamãe vai comer né papai, ela pecisa.
- Precisa mesmo.
- Ai que chatos vocês dois, não preciso coisa nenhuma. - resmunguei e eles riram. - Tenho de manter o meu corpo de bailarina.
- E que bailarina. - Luan sussurrou safado e o olhei repreendendo.
- Raquel você caiu? - minha tia perguntou.
- Não mãe, foi nuns ramos de árvore que não vi.
- Anda dormindo Raquel? - minha tia a repreendeu e ela me olhou feio mas ignorei.
- Dormindo ela não anda com certeza. - falei e Luan apertou minha perna debaixo da mesa.
- Como assim filha?
- Nada mãe, só acho que se ela estivesse dormindo nada daquilo acontecia. - expliquei cínica e Luan me olhou sério. - Que foi?
- Pára de provocar amor. - me sussurrou - Ela já teve o que merecia, agora se acalma.
- Vai defender ela?
- Claro que não, apenas não tem necessidade disso.
- Aham. - não fiz caso e continuei comendo e dando a Cecília também.


Depois do almoço minhas tias e de Luan se ofereceram para arrumar tudo, aproveitei para adormecer Cecília e a Manu. Aproveitei que estava no meu quarto e peguei num biquíni, aproveitaria a tarde de sol e a piscina que meu pai avisou estar pronta para banhos. Desci apenas de short e peguei em mais uma cerveja. Luan se visse me repreenderia mas eu estava em casa não haveria problema.


- Hey, hey. - ouvi ele me chamar assim que saí para o jardim. - Onde cê pensa que vai desfilando esse corpinho hein?
- Pra piscina ué. - falei normal bebendo.
- Vai acabar o dia bebinha.- apanhou o meu passo.
- Vem comigo amor?
- Pra piscina? - assenti.
- Até já está de calção e tudo, vem. - o puxei.


Bruna e Hugo já estavam ali assim como os primos de Luan e os meus. Mergulhei e Luan veio junto me abraçando.


- Amor para onde serão nossas férias? - perguntei aproveitando o momento.
- Surpresa.
- Me fala. - pedi manhosa.
- Você vai gostar.
- Como você sabe?
- Porque estará comigo, então vai gostar.
- Convencido.
- Galera vou pegar umas geladas alguém quer?
- Me traz uma Matheus. - pedi ao primo de Luan.
- Traz nada, ela já bebeu que chegue.
- Matheus traz, não ouve o seu primo. - Luan revirou os olhos se dando por vencido.
- Mais logo tem jantar com umas pessoas especiais pra você. - me confessou e o olhei curiosa.
- Especiais? Quem amor?
- Seus amigos.
- A Bia e o Fê? - ele assentiu - Como assim eles vêm?
- Vindo ué, eu chamei eles, aliás também vão de férias com a gente.
- Você pensa em tudo mesmo.
- Tudinho. - me beijou envolvente.


Matheus trouxe as cervejas e até Luan bebeu uma. Fui no banheiro e quando estava voltando vi Raquel conversando com Luan na espreguiçadeira. O que ela estava pensando que estava fazendo? Queria outra surra com certeza. Apressei meu passo e assim que ela me viu saiu.


- O que ela queria?
- Se explicar.
- E você acreditou né?
- Amor ela falou que foi buscar um elástico de cabelo e que viu a camiseta no chão e apanhou.
- Historinha mais mal contada essa, eu arrumei nosso quarto, sei muito bem que a sua camiseta não estava no chão coisa nenhuma.
- Tá bom, já passou.
- Passou uma ova, ela que pise no risco que eu acabo de vez com ela.
- Você é muito ciumenta.
- E novidades? - sorri de canto e ele riu me beijando. - Me coloca creme bronzeador.
- Tem certeza?
- Não se vai segurar é?
- Besta.
- Safado. - me deitei e Luan passou pelas minhas costas, bunda e pernas, se deitando ao meu lado.


Cecília acordou e desceu para a nossa beira.  A tarde foi passando e subi com Luan, banhei Cecí e ela logo saiu para brincar com Manu, aquelas duas era só brincadeira. Luan me puxou para tomar banho com ele e não resisti, acabámos nos amando. Meus amigos logo chegaram, assim como os de Luan e Bruna, a noite seria boa demais, já estava imaginando roda de viola até altas horas.


- Chegou a barraqueira. - Bia falou assim que me viu descendo.
- Sua vadia também te amo.- rimos - Mas como você já sabe disso?
- Seu irmão nos contou.
- Hum, pena você não estar aqui antes.
- Pena mesmo, pois te ajudaria.
- Quero nem imaginar o que vocês já aprontaram. - Lu falou e rimos.
- Luan elas são um perigo, se alguém se mete com uma delas, a outra se junta.


Estávamos conversando na sala enquanto o jantar não ficava pronto e Raquel chegou acompanhada de Joel. O que eles estavam fazendo juntos?


- O que esse cara está fazendo em minha casa? - me levantei enervada e parei na frente deles.
- Amor o que foi?
- Lembra daquele envelope que fez a gente brigar?
- O que isso tem a ver?
- Foi ele que me enviou. - revelei e Raquel me olhava falsa.
- Então quem vai colocar ele pra fora serei eu. - Luan se levantou e veio para o meu lado. - Vai sair a bem ou a mal?
- Nossa, com tanto papo, até parece que é dono da casa.
- Cala a boca Raquel, ele vai sair e se não gostar você vai junto. - me enervei.
- O Joel é meu amigo e vai ficar, seus pais não se importaram.
- Mas eu me importo.
- Tem calma babe, não trouxe nada daquilo que você gosta, apenas vim jantar.
- Perdeu a viagem, fora Joel. - falei autoritária.
- Cara não ouviu? Precisa que te ajude?
- Cantor tem moral, olha Raquel. - zoou e Luan se enervou se aproximando mais dele.
- Fora.
- Se o Joel sair os seus pais irão saber a drogada que a filha é. - Raquel falou cínica me encarando e tive vontade de lhe bater de novo.
- Repete o que você disse? - Bia pediu vindo para o meu lado. - Repete vagabunda?
- E quem é você?
- Pode apostar que serei o teu pior pesadelo se não colocar essas patas fora da casa da Clara.
- Vocês são muito engraçadas, façam alguma coisa que toda a sua família e de Luan saberá todo o seu passado priminha.
- Chega Raquel. - Hugo falou sério me assustando - Você não vai fazer nada, esse cara vai sair e você vai parar com essa implicância.
- Tinha de defender a irmã.
- Também já te defendi muito, mas nesta situação você é culpada sim. Então como ficámos?
- Nós vamos ficar, a sua irmã está nas minhas mãos.
- Nas minhas mãos vai ficar você. - Bia falou e pulou pra cima de Raquel nos surpreendendo a todos.
- Me larga.
- Fora. - a empurrou.
- O que está acontecendo? - minha mãe chegou na sala nos assustando.
- A Raquel trouxe um amigo indesejado mãe, eu não o quero aqui.
- Indesejado porquê?
- Fala para a sua mãe Maria. - Raquel falou me fazendo a fuzilar.
- Filha o que sua prima está dizendo?
- Mãe, depois a gente conversa, só não deixa ele ficar aqui.- puxei Luan para a área externa e nossos amigos vieram junto, a maioria não sabia do meu passado, mas lhes explicaria.
- Está bem amor?
- Não Lu, me abraça apenas. - ele me abraçou e fez carinhos em minhas costas. Ficámos ali um bom tempo.


Contei tudo para a galera que me entendeu e se admiraram com tudo. Eu estava conseguindo me abrir mais sobre esse assunto, mas conhecendo minha mãe como conhecia, sabia que mais tarde ela iria pedir explicações. Pelo que percebi Joel foi embora ficando apenas a Raquel.


- Agora você sabe do que sou capaz, volta a me fazer alguma coisa que eu acabo com a sua reputação de boa filha.
- Raquel se atreve a fazer alguma coisa com a Clara que quem vai tirar contas com você sou eu. - Luan falou bravo e firme a encarando feio.
- Tirar contas é? Sei bem o jeito que cê faz. - falou com segunda intenção e quando vi minha mão já estava na cara dela.
- Não me provoca.
- Jovens venham jantar. - Amarildo chamou e como todo o mundo foi chegando ela não fez nada.


Como imaginei fizemos roda de viola e só adormecemos quase de manhã. Luan ainda teria dois shows para fazer antes das férias e aproveitamos o última dia em Campo Grande na piscina, apenas com amigos. Voltámos pra Sampa de noite e Luan ficou dormindo em minha casa, dormimos os três juntinhos. Fomos almoçar em casa dos meus pais.


- Filha você tinha de me contra algo lembra?
- Lembro mãe.
- Estamos esperando.
- Não é fácil, mas espero que entendam o meu lado.
- Mãe, apenas deixa ela falar, não vai interrompendo. - Hugo pediu.
- Você também sabe?
- Sabem todos mãe, só você e o pai não e a Ceci, óbvio.
- Filha desembucha logo. - meu pai pediu e contei toda a história.
- Como você escondeu tudo isso debaixo do nosso nariz?
- Mãe, vocês ao tanto que viajavam nem prestavam atenção.
- Nós tivemos culpa, éramos tão ausentes.
- É, mas está tudo resolvido e terminado.
- Ainda bem que o Luan te incentivou a denunciar o Guilherme de uma vez por todas.
- Ou denunciava ela ou eu. Ele não sairia impune.
- Obrigado Luan, por disponibilizar o seu advogado para tratar de tudo, por apoiar quando ela precisava.
- E a sua prima hien? Não esperava isso dela, sabia que sempre foi maluquinha, e que sempre invejou você em várias coisas, mas coisa besta, agora por causa de homem? É o cúmulo.
- Até entendo ela, é fácil querer o Luan, é uma pessoa que marca - brinquei e ele me olhou rindo - Mas agora só quero distância, e pensar que sempre nos demos bem.
- As pessoas surpreendem.


Viajei com Luan para os shows e aproveitava sempre o tempo livre para dançar com Cecília. Por correr atrás de Luan não havia muitas hipóteses e então aproveitava o máximo de tempo possível para treinar e levar a nossa pequenina junto.


- Amor pode começar fazendo as malas.
- Como vou fazer se não sei o destino?
- Coloca roupa de verão, vai ser praia.
- Não me vai contar?
- Só no aero.



Hey amores! Teve porrada kkkkk Raquel abusou da paciência da Clara e levou poucas e boas. Até querendo enfrentar ela a piriga ousou. Mas agora já está tudo esclarecido e nosso casal se prepara para as primeiras férias juntos, onde será o destino? Comentem e desculpem por estar um pouco fraco, ás vezes a inspiração não é como queremos. Beijocas <3





14 comentários:

  1. Mas bem feitoooo,que vaca essa Raquel,agora quero ver o que ela vai fazer se a mãe dela já sabe da história,bom ficar na dela. Apenas curiosa com essas férias @natycaprioli_

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, agora não tem nada para ferrar a Clarinha.

      Eliminar
  2. Eita capitlo agitado. essa Raquel sabia que nao era boa coisa eu acho que se for no Brasil e Fernando de Noronha e se for fora e em Cancun.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Noronha não Cleane, já teve Noronha que chegue e sobre na fanfic anterior kkkkkk

      Eliminar
  3. Vai Raquel meche de novo com a Clara pra tu veer kkk
    Beem feito vaca
    essa viajem to curiosa viu
    Cinttt bjokaaa Cris

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas mexe mesmo kkkkk Depois nãos e queixe kkk
      Beijocas leitora linda :p

      Eliminar
  4. Linda linda aonde será que ele vai levar el
    a ? Estou curiosa o_O

    ResponderEliminar
  5. A briga de Clara com Raquel foi a maia top , ela bem que mereceu . Clarinha esclarecendo os fatos com os pais achej bem digno . essas férias , quero saber pra onde vão . *Laiaraujo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Né? Assim já não há segredos e todo mundo fica sabendo. Onde será? kkk

      Eliminar
  6. Gente, a Maria é babado, confusão e gritaria! Com ela não tem palhaçada hahahaha Bem feito pra Raquel.
    Também quero saber onde será essas férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela não deixa as coisas por menos kkkk Já desvendei :p

      Eliminar
  7. Eita que o babado foi forte. Eu to em duvido se a Raquel falou a verdade ou não sobre a blusa o.O kkkkk E esse Joel em, que descarado, cara mala. Bia partiu pra cima da Raquel kkkkk o tanto que essa menina apanhou em um capítulo já vale pra fic toda kkkkkk. Ainda bem que os pais dela sabem agora de tudo, mas espero que essa Raquel não abra a boca pra família do Luan em D:
    E essas feeeeerias, Eita que eu quero só ver pra onde vão *-*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. kkkkkkkkk Claro que era mentira amiga kkkkkk
      Cara de pau mesmo né? Essa Bia é só baixaria kkkkkk Foi porrada até mais não amiga kkkk
      Pois é, a família do Luan não sabe, esperemos que ela não abra a boca ...
      Já revelei :p

      Eliminar